Ana Claudia Domene - Multiple Sclerosis/Esclerose Multipla

January 9, 2020

12 YEARS WITH THE COIMBRA PROTOCOL
 

Post by Ana Claudia Domene, author of the book Multiple Sclerosis and (lots of) Vitamin D, in the FB group Protocolo Coimbra - Brasil:
 

“I often see questions in this group and in other groups about what happens to patients who have been following the Protocol for a long time. How are they, what are the long term side effects, etc. In my case, here is the answer. I have MS and follow the protocol for 12 years, and yesterday I spent the day from 11 am to 5 pm hiking in this place; we walked on super slippery trails with ice and snow, climbed to the top of these rocks, spent hours going up and down ravines in the rocks... it's not something that I have to stop to think about... For over 10 years I have no fatigue, I have as much energy as my husband (and he is always super fit!), I have no problems with cold or heat, balance, none of the common problems we see in MS.
 

For those who don't know my history, my first outbreaks of MS (early 2008) were so aggressive that they left me with motor difficulties in my right arm and left leg for almost 1 year. It is not common for a first outbreak to cause motor issues, this is indicative of aggressive MS. In addition to the brain lesions, I had 2 large cervical lesions, one nearly 2 cm in diameter. My neurologist called that lesion "nasty". My oligoclonal bands were 14, my neurologist (an MS specialist) said she had never seen so many antibodies in the nervous system of an MS patient; the average of this test for those with MS is 6 or 7. My prognosis was not good, doctors warned me that my MS seemed to be quite aggressive.
 

And yet, 12 years later, here I am. With brain lesions that are now scars, the smallest cervical lesion disappeared completely and the largest one decreased to 1.4 cm. I've never again had MS activity on my MRIs.
 

About the Protocol, I've never had problems with calcium, my kidney function is perfect, no sign of kidney stones throughout those years. I follow the diet and drink about 3.5 L of water a day (I've always drunk a lot of water, since before the protocol). I have osteopenia (-1.3) that has been stable for 3 years, as I exercise daily. But I am 51 years old and in menopause, and I have many friends who don’t take high doses of vitamin D and also have osteopenia or osteoporosis.
 

So, to anyone wondering what happens to patients who follow the protocol for many years, what are the long-term side effects, I can answer that in my case, this is what's happening to me. I'm healthy, with as much energy, strength and disposition as anyone else, without problems with the disease or the treatment, and living my life without the shadow of multiple sclerosis.
 

All this I know I owe to Dr Cicero Coimbra and vitamin D. ”




PORTUGUÊS:  12 ANOS COM O PROTOCOLO COIMBRA

Post de Ana Claudia Domene (autora do livro Esclerose Múltipla e (muita) Vitamina D, no grupo do FB “Protocolo Coimbra - Brasil”:

“Muitas vezes eu vejo perguntas nesse grupo e em outros grupos sobre o que acontece com pacientes que seguem o Protocolo há mais tempo. Como eles estão, quais são os efeitos colaterais a longo prazo, etc. No meu caso, aqui está a resposta. Eu tenho EM e sigo o protocolo há 12 anos, e ontem passei o dia das 11 da manha às 5 da tarde explorando esse lugar; andamos em trilhas super escorregadias com gelo e neve, subimos até o topo dessas pedras, passei horas subindo e descendo ravinas nas pedras... nao é algo que eu tenha que parar para pensar, isso para mim não é nada na verdade... há mais de 10 anos eu não tenho fadiga, tenho tanta energia qto meu marido (e ele está sempre super em forma!), não tenho problemas com frio ou calor, equilíbrio, nada dos problemas comuns que vemos na EM.

Para quem nao conhece minha história, meus primeiros dois surtos de EM (início de 2008) foram tao agressivos que me deixaram com dificuldades motoras no braço direito e na perna esquerda por quase 1 ano. Nao é comum um primeiro surto deixar sequelas motoras, isso é indicativo de uma EM agressiva. Além das lesões no cérebro, eu tinha 2 lesões grandes na cervical, uma de quase 2 cm de diâmetro. Minha neurologista chamou aquela lesão de "nasty" (nojenta 😃 ). Minhas bandas oligoclonais deram 14, minha neuro disse que nunca tinha visto um número de anticorpos tão alto no sistema nervoso de um paciente com EM, a média desse exame para quem tem EM é 6 ou 7. Meu prognóstico não era bom, os médicos me preveniram que minha EM parecia ser bastante agressiva.

E no entanto, 12 anos depois, aqui estou eu. Com algumas lesões cicatrizadas no cérebro, a lesão menor na cervical desapareceu completamente e a maior diminuiu para 1.4 cm. Nunca mais tive atividade da EM nas ressonâncias.Sobre o Protocolo, nunca tive problemas com o cálcio, minha função renal é perfeita, nunca tive sequer um grão de areia (cálculo) nos rins. Faço a dieta da forma correta e bebo por volta de 3.5 lts de água por dia (sempre bebi muita água, desde antes do protocolo). Tenho osteopenia (-1.3) que está se mantendo estável há vários anos, pois faço exercícios diariamente. Mas tenho 51 anos de idade e estou na menopausa, e tenho muitas amigas que nunca tomaram altas doses de vitamina D e também tem osteopenia ou osteoporose.

Então, para quem se pergunta como estão os pacientes antigos do protocolo, quais são os efeitos do tratamento a longo prazo, eu posso responder que no meu caso, estou assim. Saudável, com tanta energia, força e disposição quanto qualquer outra pessoa, sem problemas com a doença ou com o tratamento, e vivendo minha vida sem a sombra da esclerose múltipla.

Tudo isso eu sei que devo ao Dr Cícero Coimbra e a vitamina D.

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload